quinta-feira, 25 de maio de 2017

Tinha em casa soqueira e pistola de alarme

Por CASCAIS24

Agentes da Esquadra de Investigação Criminal da PSP de Cascais confiscaram uma soqueira e uma pistola de alarme, bem como 43 munições de salva, durante uma busca domiciliária, esta quarta-feira, ao final da tarde, em Caparide.

A busca terá sido realizada na sequência de uma denúncia contra um homem, de 48 anos.

Na residência, em Caparide, os agentes confirmaram a existência de armas ilegais e confiscaram a soqueira, a pistola e as munições de salva.

O homem foi identificado e notificado para comparecer esta quinta-feira junto dos serviços do Ministério Público, em Cascais.

domingo, 21 de maio de 2017

ASSALTO. Lançaram carro contra Galp em Alcoitão

Por CASCAIS24

O posto de abastecimento de combustíveis da Galp, em Alcoitão, foi assaltado na última quarta-feira, de madrugada, por desconhecidos, que lançaram um veículo furtado na região de Sintra contra as instalações, apurou Cascais24.

O ataque ao posto de abastecimento, encerrado, registou-se depois das quatro horas da manhã.

Os assaltantes - em número de três, dois deles encapuzados - lançaram contra a entrada um veículo, marca Hyundi, vermelho, que tinha sido furtado em Casais de Mem Martins.

Com as instalações arrombadas, os assaltantes entraram no seu interior e terão furtado diversos artigos, nomeadamente tabacos, alguns dos quais acabaram por ficar espalhados na fuga.

Segundo Cascais24 apurou, o veículo foi abandonado e resgatado mais tarde na região de Rio de Mouro.

As câmaras de videovigilância instaladas no posto de abastecimento revelam que os assaltantes estoiraram com a entrada das instalações com a traseira do automóvel, a alta velocidade.

"Dois deles atuaram encapuzados e um terceiro de rosto a descoberto", disse, a Cascais24, fonte policial.

Quando uma patrulha da GNR de Alcabideche chegou ao posto de abastecimento, os assaltantes estavam longe.




sexta-feira, 19 de maio de 2017

Casal armado assalta loja e agride à coronhada em pleno dia na baixa de Cascais

Por CASCAIS24

Um casal armado tomou de assalto uma loja no centro comercial Baía Center, em plena baixa de Cascais, esta quinta-feira, de manhã, e fugiu com mais de 850 euros depois de ter agredido à coronhada uma funcionária, confirmou, a Cascais24, fonte policial.

O assalto registou-se pouco depois das onze horas da manhã, tendo sido protagonizado por uma mulher, armada com uma pistola, e por um homem.

Os assaltantes ainda terão tentado trancar a funcionária na casa de banho, mas perante a sua resistência acabou por lhe desferir uma violenta coronhada, que a prostrou e obrigou posteriormente a ter que ser assistida na urgência do Hospital de Cascais.

O casal assaltante acabou por fugir, levando 850 euros que estavam na caixa registadora, bem como duas toalhas.

O assalto registou-se amenos de 100 metros da Esquadra da PSP de Cascais.

A investigação está a cargo da brigada Antirroubo da Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa e Vale do Tejo.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Foi a casa buscar caçadeira para "acalmar ânimos" mas acabou desarmado por dono de café em Tires

Por CASCAIS24

Um homem que, na sequência de uma altercação com dois outros, foi a casa buscar uma caçadeira para, segundo ele, "acalmar os ânimos" dos antagonistas, acabou por ser desarmado pelo dono de um café, esta terça-feira, à noite, em Tires.

O incidente registou-se pouco antes das dez horas da noite, quando o homem, de 63 anos, ter-se-á desentendido com dois outros frente ao café, na praça Fernando Lopes Graça.

Dirigiu-se ao domicílio e regressou pouco depois, armado com uma caçadeira, municiada com dois cartuchos.

Acabou, no entanto, por ser desarmado pelo dono do estabelecimento, que lhe voltou a devolver a caçadeira.

Fonte policial disse, a Cascais24, que o homem voltou a casa, a fim de ai deixar a arma e regressou de carro para junto do café, onde veio a ser abordado por agentes da Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da Divisão Policial de Cascais.

Aos agentes o homem terá declarado que "não pretendia usar a caçadeira, mas antes acalmar um pouco os ânimos" dos outros indivíduos, que estariam "muito exaltados".

Acompanhado dos agentes ao seu domicílio, acabou por entregar a caçadeira, que foi confiscada, apesar de estar legalizada e, inclusivamente, entregou o livrete da mesma.

Fonte policial disse que o homem foi "apenas identificado", não havendo registo de que a caçadeira tivesse utilizada em qualquer disparo.

 






terça-feira, 9 de maio de 2017

ATAQUE NOTURNO. Feito refém 30 minutos por dupla em carro obrigado a revelar código do Multibanco

Por CASCAIS24

Um homem, de 40 anos, foi tomado refém na via pública, na Parede, esta segunda-feira, de madrugada, por ocupantes de um veículo, que o sequestraram durante cerca de meia hora e debaixo de agressões o obrigaram a revelar o código do cartão de débito, tendo efetuado, pelo menos, dois levantamentos em terminais multibanco, acabando por o libertar junto à A5, em São Domingos de Rana.
A vítima foi abordada sob ameaça de uma navalha por um de dois ocupantes de um veículo, pouco depois das cinco horas da manhã, quando circulava pela rua professor Egas Moniz, no Bairro Alentejano, na Parede.
Forçado a entrar na viatura, o homem, de 40 anos, empregado na área da restauração e hotelaria, foi agredido e coagido a revelar o código do cartão Multibanco, o que acabou por fazer.
Os sequestradores, que rondam a casa dos 40 anos e atuaram de rostos a descoberto, fizeram um primeiro levantamento num terminal junto ao supermercado "Pingo Doce". Um segundo levantamento, no valor de 200 euros, terá sido feito noutro terminal.
A vítima, que durante todo o tempo em que esteve refém, foi agredido, acabou por ser libertado meia hora depois junto ao túnel desnivelado que dá acesso à A5, em São Domingos de Rana.
Já em liberdade, a vítima acionou o 112, tendo sido socorrido pela PSP, que o resgatou na via pública.
Apesar de algumas escoriações, o homem não teve necessidade de ser assistido na urgência hospitalar.

A investigação está a cargo da Brigada Antirroubo da Polícia Judiciária (PJ) da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Gang faz razia “cirúrgica” a mensalidades

Por CASCAIS24



Um gang especializado em assaltos “cirúrgicos” a secretarias de complexos desportivos e corporações de bombeiros para furtar montantes das mensalidades pagas pelos utentes, está a ser investigado pelas autoridades policiais, sob a coordenação do Ministério Público (MP) de Cascais.

A vaga de assaltos “misteriosos” regista-se desde há dois anos e, entretanto, terão rendido aos executantes alguns milhares de euros.

Em regra, os autores materiais dos assaltos operam com grande à-vontade, manifestando conhecimento das instalações alvo e tendo por objetivo único e exclusivo montantes guardados e provenientes de mensalidades pagas por utentes dos espaços.

“Sabem como entrar, como movimentar-se e onde estão guardados os valores a subtrair”, disse, a Cascais24, fonte próxima das investigações.

Há dois meses, o alvo foi a secretaria do Complexo Desportivo de Alcabideche, sob gestão da Junta de Freguesia. 

Foram furtados cerca de 8 mil euros em dinheiro das mensalidades.

Os intrusos ter-se-ão introduzido nas instalações através de uma "porta semifechada", junto ao ginásio.



O autarca de Alcabideche limitou-se a confirmar a Cascais24 que "houve um assalto", mas alega tratar-se de um caso que "está a ser objeto de investigação".

Já, dois meses antes, curiosamente - apurou agora Cascais24 - pelo menos dois desconhecidos, com capuzes a cobrir-lhes os rostos, introduziram-se durante a madrugada, por escalamento e arrombamento de uma janela, no quartel dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche.

Os intrusos desceram à secretaria e, procurando sempre esquivar-se às câmaras de videovigilância, foram “direitinhos” aos cofres que guardavam cerca de 5 mil euros em mensalidades pagas pelos utentes nas várias áreas de atividade desenvolvidas pela respetiva Associação. 

José Filipe Ribeiro
O assalto foi confirmado a "Cascais24" pelo presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche, José Filipe Ribeiro, que é também tesoureiro da autarquia local e futuro candidato pela coligação "Viva Cascais" à presidência da Junta de Alcabideche nas autárquicas de outubro próximo.

De acordo com fontes contatadas por Cascais24, é provável que estes assaltos tenham a mesma assinatura daquele que, em dezembro de 2015, foi praticado no Complexo Desportivo de Alapraia, sob gestão dos Bombeiros do Estoril. Na altura, foi furtado um cofre com cerca de 5 mil euros em mensalidades.

Os investigadores estão convencidos que os assaltos só são executados, em segurança, a partir de informações fornecidas por “alguém” que, sendo frequentador das instalações, acaba por vigiar os movimentos e conhecer a rotina dos alvos, planeando e mandando executar os golpes no espaço temporal em que há maior movimento de dinheiros.





Noticias relacionadas 

GNR investiga assalto ao Complexo Desportivo de Alcabideche 

MULTIMÉDIA. Assalto misterioso ao cofre do Complexo Desportivo de Alapraia























sábado, 29 de abril de 2017

GNR investiga assalto ao Complexo Desportivo de Alcabideche

Por CASCAIS24

O Complexo Desportivo de Alcabideche foi assaltado, há cerca de dois meses, por um ou mais desconhecidos e terão sido furtados da respetiva secretaria dinheiro das mensalidades, num montante não divulgado, bem como "vários objetos".

O ou os intrusos ter-se-ão introduzido nas instalações através de uma "porta semifechada", junto ao ginásio.

Autarca confirma assalto, mas recusa esclarecer, por o caso estar a ser "objeto de investigação"
Rui Paulo Costa, presidente da Junta de Freguesia de Alcabideche, que detém a gestão do complexo, confirmou, este sábado, a Cascais24, que "houve um assalto", mas recusou-se a adiantar quaisquer pormenores, alegando tratar-se de um caso que "está a ser objeto de investigação por parte da GNR".


Ao que Cascais24 apurou e embora o autarca não o tenha confirmado, o montante furtado e não revelado deverá corresponder alegadamente às mensalidades pagas pelos utentes nas várias áreas de atividade desenvolvidas no complexo desportivo.

A investigação ao assalto, que foi participado ao Ministério Público junto da comarca de Cascais, está a cargo do Núcleo de Investigação Criminal.

Um assalto quase em tudo semelhante ao que teve lugar em dezembro de 2015 ao Complexo Desportivo de Alapraia dos BVEstoris, em que "voaram" cerca de quatro mil euros em mensalidades pagas pelos utentes.



Noticias relacionadas  
Assalto misterioso ao cofre do Complexo Desportivo de Alapraia 





Andava com pistola ilegal na via pública

Por CASCAIS24

A GNR de Alcabideche intercetou e deteve este sábado, à tarde, um homem, de 57 anos, por posse ilegal de arma de fogo e munições.

O homem foi abordado pelos militares perto da escola secundária IBN Mucana, em Alcabideche.

Transportava consigo uma pistola, calibre 6,35 milímetros, em situação ilegal, bem como algumas muniões, que também foram confiscadas.

Fonte da GNR confirmou, a Cascais24, que o homem foi intercetado na sequência de informações que indicavam andar armado, com arma de fogo em situação ilegal, mas escusou-se a precisar a existência ou não de conflitos anteriores que agora tivessem culminado na abordagem.

O suspeito foi detido para ser submetido a primeiro interrogatório judicial junto dos serviços do Ministério Público de Cascais.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Assaltam restaurante e fogem com cofre com milhares

Por CASCAIS24

Um restaurante na Guia foi assaltado esta quinta-feira, de madrugada, por um ou mais desconhecidos que, curiosamente, só furtaram um cofre, confirmou, a Cascais24, fonte policial.

O ou os assaltantes introduziram-se no restaurante, na avenida Nossa Senhora do Cabo, por volta das duas horas da manhã.

Segundo fonte policial, a porta do estabelecimento foi arrombada.

O alerta chegou à PSP quatro minutos depois das duas horas e meia da madrugada.

De acordo com a mesma fonte policial, "só um cofre foi furtado", não tendo sido revelado o seu conteúdo, embora tudo aponte, à partida, para a existência de alguns milhares de euros.

Trata-se, aparentemente, de "um assalto cirúrgico", fez notar outra fonte.

O assalto foi participado ao Ministério Público e a investigação deverá ficar a cargo da Esquadra de Investigação Criminal da PSP de Cascais.




sexta-feira, 14 de abril de 2017

Polícias espanhóis patrulham com a PSP ruas de Cascais

Por CASCAIS24


Agentes do Corpo Nacional de Polícia, em equipa com agentes da PSP, patrulham este sábado as ruas do centro de Cascais e junto à orla marítima, garantindo uma maior visibilidade e uma ligação mais próxima aos cidadãos espanhóis que visitam o concelho nesta quadra pascal.

Os dois agentes da polícia espanhola deslocam-se em viatura policial caraterizada e, segundo Cascais24 apurou, estão no concelho entre as dez horas da manhã e as seis horas da tarde.

Trata-se, como é tradicional todos os anos, nesta época, de um intercâmbio no âmbito das Comissarias Europeias.
 
Os policias espanhóis chegaram a Lisboa na quarta-feira e foram recebidos na sede do COMETLIS, em Moscavide, pelo Comandante Metropolitano de Lisboa, Superintendente Jorge Maurício.
A sua presença, quer na cidade de Lisboa, quer em Cascais os elementos espanhóis visa apoiar o efetivo português na segurança que a PSP presta aos cidadãos espanhóis, que na época da Páscoa visitam o nosso País.
Esta realidade vem ao encontro do estipulado na decisão n.º 2008/615/JAI (aprofundamento da cooperação transfronteiras, em particular no domínio da luta contra o terrorismo e a criminalidade transfronteiras) e no âmbito do Acordo de Cooperação em matéria Policial e Aduaneira rubricado por Portugal e Espanha.
Nos mesmos moldes e com a mesma missão, agentes do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, entre 31 de março e 10 de abril, estiveram em Benalmádena, Espanha, garantindo assim, uma maior visibilidade e uma ligação mais próxima entre os visitantes e a Polícia.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Assaltante detido pela PSP na Parede em preventiva

Por CASCAIS24
Os objetos que o assaltante planeava furtar e o pé-de-cabra usado no arrombamento (Foto PSP)

O assaltante, de 52 anos, detido em flagrante por agentes da PSP de Parede, da Divisão Policial de Cascais, esta terça-feira, de madrugada, no interior de uma habitação, conforme Cascais24 avançou em primeira mão, viu confirmada a prisão preventiva, tendo recolhido ao Estabelecimento Prisional de Caxias.

O suspeito, de 52 anos, foi surpreendido pelos agentes pelas 3h35, no interior da residência, na avenida da República, na Parede, e não esboçou resistência.

Com a sua pronta intervenção, os agentes da 52.ª Esquadra da PSP de Parede lograram frustrar um furto de objetos avaliados em mais de 10 mil euros.

O homem encontrava-se com apresentações semanais na polícia, no âmbito de um outro inquérito judicial, o que, aliado a ter sido detido em flagrante, contribuiu para que o juiz de Instrução Criminal de Cascais lhe confirmasse a prisão preventiva.

Conforme Cascais24 noticiou, o suspeito introduziu-se na residência por meio de arrombamento da porta, com o auxílio de uma pé-de-cabra que lhe foi confiscado.

Os donos da casa, um casal idoso na casa dos 70 anos, que habita uma casa ao lado, acordaram sobressaltados com o barulho e acionaram a PSP.

Noticia relacionada 

PSP de Parede apanha assaltante noturno em flagrante e aborta furto de 10 mil euros 


terça-feira, 11 de abril de 2017

PSP de Parede apanha assaltante noturno dentro de habitação e "aborta" furto de 10 mil euros

Por CASCAIS24

Agentes da PSP de Parede, da Divisão Policial de Cascais, detiveram, em flagrante, esta terça-feira, de madrugada, o assaltante de uma casa e lograram "abortar" o furto de mais de 10 mil euros em objetos.

O suspeito, de 52 anos, foi surpreendido pelos agentes pelas 3h40, no interior da residência, na avenida da República, na Parede, e não esboçou resistência.

Segundo Cascais24 apurou, o homem encontrava-se com apresentações semanais na polícia, no âmbito de um outro inquérito judicial.

Momentos antes da ser apanhado em flagrante, o suspeito introduziu-se na casa por meio de arrombamento da porta, com o auxílio de uma pé-de-cabra que lhe foi confiscado.

Os donos da casa, um casal idoso na casa dos 70 anos, que habita uma casa ao lado, acordaram sobressaltados com o barulho e acionaram a PSP.

Apanhado pelos agentes a vasculhar a residência, tinha, entretanto, "amontoado" um conjunto de objetos, prontos para serem levados, no valor superior a 10 mil euros.

Foi detido para ser submetido a primeiro interrogatório judicial junto do Tribunal de Cascais.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

PJ que terá desviado 200 mil euros de cofre milionário de mansão da Quinta da Marinha em silêncio

Por CASCAIS24



A tentação foi mais forte do que o cumprimento do dever para o inspetor da brigada Anticorrupção da PJ Emanuel Sérgio Pacheco Briosa, 40 anos, que começou esta segunda-feira a ser julgado no Tribunal de Cascais acusado de, no decurso da operação “Rota do Atlântico” ter, alegadamente, furtado 200 mil euros que faziam parte dos 6,9 milhões de euros confiscados em dois cofres na mansão da Quinta da Marinha, em Cascais, então alvo de buscas policiais.  

Louvado em 2009 pelo então ministro da Justiça e atual primeiro-ministro António Costa, “pela persistência, excecional desempenho, dinamismo, organização e eficácia demonstradas no decurso de uma investigação de um caso complexo de cariz económico”, o inspetor manteve-se em silêncio nesta primeira sessão perante o coletivo, afirmando que falará "no momento próprio".

Detido no Estabelecimento Prisional de Évora depois de, no ano passado, ter visto o super juiz Carlos Alexandre decretar a prisão preventiva, Emanuel Briosa é um antigo agente da PSP, que foi admitido na PJ em 2004, na sequência de um concurso extraordinário. Encontrava-se destacado numa brigada que investiga contrabando de tabaco e bebidas alcoólicas, mas participava habitualmente em outras operações lançadas pela unidade anticorrupção.

Em princípios do ano passado, participou na operação “Rota do Atlântico” e foi um dos três inspetores destacados para as buscas à mansão da rua dos Sobreiros da Marinha, na Quinta da Marinha, alegadamente usada por Gilbert Ondongo, ministro de Estado, das Finanças e da Economia do governo da república do Congo Brazzaville. 

Foi nesta casa, o lote 22, que foram encontrados dois cofres blindados, no interior dos quais estavam 6,9 milhões de euros, em notas devidamente cintadas, pelo Banco Central Italiano. A chave da mansão estaria na posse de Paulo Santana Lopes, irmão do antigo Primeiro-ministro José Santana Lopes e atualmente Provedor da Santa Casa da Misericórdia.

O inspetor da PJ terá desviado um único maço de mil notas de 200 euros e um dos dois colegas que testemunharam no julgamento, garantiu ao coletivo do Juízo Criminal 2, que o colega ficou “dois a três minutos sozinho”. Na altura, os dois inspetores ficaram a acondicionar num saco as notas de dólares, enquanto Emanuel Briosa pegou num outro onde tinham sido colocados os maços de euros e levou-o para uma sala no rés-do-chão. Segundo a acusação, Emanuel Briosa levou logo o dinheiro para o veículo, escondendo o maço de notas dentro de uma mochila, que estava na bagageira.

Segundo o Ministério Público, Briosa gastou parte dos 200 mil euros “em diversas despesas em bens e serviços de diversa natureza", incompatíveis com o seu padrão de vida”. Tinha problemas financeiros e desde 2013 que tinha em curso “processos de execução que vieram a dar origem a penhoras de parte do seu vencimento, uma delas uma dívida de quase 6900 euros. Tinha ainda uma outra de mais de 14 mil euros a um banco e de 540 euros à Autoridade Tributária. Para além disso, em escassos cinco meses “alterou o seu estilo de vida, designadamente com deslocações frequentes a restaurantes, estadias em hotéis e viagens". A acusação refere que também que pagou facturas de água e eletricidade. Uma outra diz respeito ao pagamento parcial do trespasse de um restaurante. "Gastou, pelo menos, 20 mil euros como parte do preço do trespasse do estabelecimento comercial O Rei dos Petiscos, situado em Santa Marta do Pinhal, Corroios, que explorou em conjunto com a mulher a partir de Julho de 2016", diz o Ministério Público. 

O advogado de Emanuel Briosa, António Andrade de Matos, recusou-se a prestar declarações no final desta primeira audiência de julgamento, que continua no próximo dia 24, pelas 9h15 no Tribunal de Cascais.

Na operação “Rota do Atlântico” são arguidos o ex-empresário de futebol José Veiga, Paulo Santana Lopes, a advogada Maria Luísa Barbosa, curiosamente administradora da sociedade Westside Worldwide, SA, que terá adquirido por 4,5 milhões a mansão da Quinta da Marinha, e ainda Manuel Damásio - o antigo presidente do SLB Manuel Damásio e o homem por detrás do novíssimo e luxuoso Hotel Intercontinental (antigo hotel Atlântico) no Monte Estoril, inaugurado em Dezembro de 2015.


Posteriormente, surgiu outro arguido, um cidadão brasileiro, diretor financeiro da Asperbras, empresa da qual José Veiga é o diretor-geral na filial do Congo. Foi apanhado em Buenos Aires, na Argentina, na sequência de um mandado de detenção internacional a pedido da Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC).

De resto, no âmbito da operação “Rota do Atlântico”, os inspetores da PJ apontaram como alvo o Hotel Intercontinental do Estoril, cuja aquisição por parte de Veiga pode ter servido como forma de lavar os cerca de 500 milhões que circularam pelas contas do antigo empresário de Luís Figo nos últimos cinco anos. A suíte do próprio Manuel Damásio no “Intercontinental” foi, na altura, alvo de buscas judicialmente autorizadas.