OPINIÃO de quem sabe

Pai que esventrou filho em Polima é considerado violento e suspeito de violência doméstica

Por Valdemar Pinheiro
Bloco 75 da rua Raul Solnado, em Polima                                          (Foto Luís Curado/Cascais24)

07.03.2017
O homem que, este domingo, de manhã, esventrou o filho, em Polima, e esta segunda-feira viu confirmada a prisão preventiva, por tentativa de homicídio, é considerado violento e suspeito de violência doméstica, apurou Cascais24.

A agressão ao filho, na casa dos 30 anos, esfaqueado gravemente na região abdominal, surgiu poucas horas depois da família ter festejado em casa o aniversário de uma irmã da vítima, soube, ainda, Cascais24.

Na altura, alcoolizado, o homem, de 54 anos, terá ameaçado de morte o filho, mas os ânimos ficaram serenados com a ajuda dos convivas.

Poucas horas depois, às primeiras horas de domingo, provavelmente ainda ressacado, pegou numa faca de cozinha e, sem motivo aparente, esfaqueou gravemente o filho, deixando-lhe os "intestinos de fora".

O filho, apesar de ferido, ainda ter-se-á tentado defender, agredindo, igualmente o pai, com outra arma branca no rosto.

Segundo Cascais24 apurou, o homem é considerado violento pelos elementos da família e, inclusivamente, a própria mulher tem sido vítima de violência doméstica.

Estas informações, agora avançadas em primeira mão por Cascais24, poderão explicar o motivo pelo qual família e vizinhos, apesar da procura dos jornalistas em apurar as causas da brutal agressão, manterem uma enorme cortina de silêncio sobre os incidentes de domingo de manhã.

O andar onde tudo aconteceu ( Foto Luís Curado/Cascais24)
A família habita um segundo andar no bloco 75 da rua Raul Solnado, em Polima, onde existem três outros blocos de habitação social.

O homem trabalha na recolha de lixo, presume-se que na empresa municipal e, para manter um orçamento mensal equilibrado de sustento familiar, dedica-se, ainda, a alguns biscates. 

A mulher, por sua vez, faz trabalhos domésticos em várias residências particulares.

Este domingo, pouco antes das oito horas da manhã, deu-se a tragédia naquele segundo andar de habitação social.

Os moradores  do bloco 75 acordaram com “vozes alteradas”, “gritos”, “ambulâncias e polícia” à porta, depois de uma violenta desavença entre os dois membros da família cabo-verdiana.

Pai e filho foram assistidos pelo médico da VMER do Hospital de Cascais e, depois de estabilizados, transportados em ambulâncias dos corpos de Bombeiros Voluntários de Carcavelos e São Domingos de Rana e de Parede aos hospitais de Cascais e de Santa Maria.

O filho, esventrado, continua internado em estado grave, depois de submetido a intervenção cirúrgica.

O pai, por sua vez, foi detido depois de assistido no hospital de Cascais.

Foi  presente ao tribunal de Cascais para primeiro interrogatório judicial e viu confirmada a prisão preventiva, tendo recolhido ao Estabelecimento Prisional de Caxias.

Os moradores da rua Raul Solnado, em Polima, acordaram com ambulâncias e policias (Foto Luís Curado/ Cascais24)































Comentários

Defesa animal

Defesa animal

MAIS PROCURADAS